André Jordan nasceu na Polónia, em 1933, e cresceu no Brasil, onde a família procurou refúgio em 1940, em fuga das perseguições nazis na Europa. Tem dupla cidadania brasileira e portuguesa.

Em 1968, após a morte de seu pai, André Jordan tornou-se o Director de Desenvolvimento Internacional da Levitt & Sons, em Nova Iorque, à época o mais importante promotor imobiliário residencial nos Estados Unidos.

Veio para Portugal em 1971 para criar a Quinta do Lago, um empreendimento que, 40 anos depois, é reconhecido internacionalmente como um dos mais prestigiados desenvolvimentos no mundo.

No final da década de 80, após a venda da Quinta do Lago, André Jordan assumiu em Londres, o cargo de Administrador Executivo da Bovis Abroad, empresa do Grupo Bovis dedicado aos negócios imobiliários internacionais, com projectos em Espanha, Portugal e no Caribe, incluindo o famoso La Manga Club, no Sul de Espanha.

Em 1991, André Jordan criou um novo projecto na região de Lisboa, denominado Belas Clube de Campo, onde se estabeleceu com sucesso uma comunidade residencial de dimensão significativa.

Em 1995, André Jordan adquiriu a Lusotur, proprietária de Vilamoura, o maior complexo residencial e de lazer na Europa. Esta empresa foi vendida a investidores espanhóis em 2006.

Os nove campos de golfe criados por André Jordan em Portugal foram o palco de grandes provas internacionais e alguns estão listados entre os melhores na Europa e no mundo. No desenho e na operação dos seus campos de golfe, bem como em todos os outros empreendimentos, especial atenção tem sido dada pelo André Jordan Group ao desenvolvimento sustentável, o que é atestado por inúmeros certificados e prémios internacionais.

André Jordan está envolvido em muitos organizações e iniciativas de carácter cívico, cultural e educacional, tanto em Portugal como a nível internacional. Foi vice-presidente da WTTC, organização da qual é actualmente membro honorário, integrando seu Governance Committee. É fellow da Duke of Edinburgh International Award Association, de cuja secção portuguesa foi presidente. Ocupou o cargo de Cônsul Honorário do Brasil no Algarve durante 17 anos. É ainda fellow do Royal Institute of Chartered Surveyors. Integra desde 1999 o grupo de fundadores da Fundação de Serralves, instituição a cujo Conselho de Administração pertenceu até 2013. Foi o primeiro Presidente do Urban Land Institute – ULI (Portugal), cargo que exerceu entre 2001 e 2004.

Jornalista na sua juventude, André Jordan marca presença regular nas páginas de opinião de alguns dos principais jornais portugueses e brasileiros e é autor de 7 livros.

É Cidadão Honorário do Rio de Janeiro e recebeu a Medalha de Ouro das cidades de Loulé e de Sintra, bem como do Turismo de Portugal. Foi-lhe atribuída a chave da cidade de Nova York. Foi condecorado pelo Estado Português com a Grã Cruz da Ordem de Mérito e é Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique. O Governo brasileiro condecorou-o igualmente com o grau de Grande Oficial da Ordem do Rio Branco. Recebeu em 2014, em Londres, o World Travel Leaders Award.

André Jordan é Doutor Honoris Causa pelo ISCTE, Instituto Universitário de Lisboa, e pela Universidade do Algarve.

É casado com Nora Agnes Jordan. Tem 4 filhos e 8 netos.

Londres, 5 de Novembro de 2014 — André Jordan recebeu o prestigiado World Travel Market 2014 World Travel Liders Award em reconhecimento do seu contributo para o sector do turismo no Algarve. O cobiçado prémio foi entregue a André Jordan por Carina Monteiro (Directora Editorial da Publituris, à esquerda na foto) e Kate MacBeth (Directora de Marketing e Comunicação do WTM, à direita na foto), na última edição do World Travel Market realizada em Londres. Estes prémios são uma excelente plataforma proporcionada aos media partners do WTM (que representam importantes órgãos de informação de turismo de todo o mundo) para o reconhecimento público de empresas e indivíduos que tenham dado contribuição significativa para o turismo na sua região ou sector de actividade.

Na cerimónia de entrega do prémio, o Director do World Travel Market, Simon Press, destacou que «André Jordan tem tido um papel essencial para transformar o Algarve no destino turístico que é hoje». Três candidaturas de cada um dos media partners  do WTM foram julgados no mês de Setembro por um júri constituído por representantes de um organismo independente, do WTM e do próprio órgão de informação. Outros vencedores do World Travel Liders Award foram a Associação de Operadores Turísticos da Rússia, Roger Dow, a US Travel, a Air Canada e a Easy Jet. O World Travel Market é o maior evento global para a indústria do turismo, ponto de encontro obrigatório para operadores de todo o mundo. Anualmente, mais de 50 mil profissionais de turismo, governantes e jornalistas visitam no ExCel London o World Travel Market fazendo networking em contacto com as últimas tendências no sector.

 

Lisboa, 16 de Março de 2015 — Durante os 75 anos que decorreram desde ter saído da Polónia com os meus pais, irmã e um casal de primos, no dia 1 de Setembro de 1939, sem serem trazidos documentos pessoais, andei durante todo esse tempo com o problema e a dificuldade de comprovar a minha existência. Efectivamente, todas as tentativas junto às autoridades da minha cidade natal Lviv – que faz parte da Ucrânia desde o Tratado de Potsdam que entregou a Galiza Polaca à União Soviética – tinham sido infrutíferas, sob a alegação de que os arquivos haviam desaparecido.

Entretanto, um encontro fortuito com o ex-presidente Lech Walesa, no restaurante Gigi, na Quinta do Lago, resultou numa aproximação com o actual Embaixador da Polónia em Portugal, Professor Bronislaw Misztal e a sua mulher. O Professor Misztal é um ilustre sociólogo que ensinou em importantes universidades americanas durante 20 anos e retornou à Polónia convocado pelo Ministro dos Negócios Estrangeiros Sikorski, para assessorá-lo na formulação política. Encontrou no ministério uma jovem e brilhante diplomata com quem casou e tem 2 filhos, tendo sido nomeado Embaixador da Polónia em Lisboa.

O casal Misztal entendeu que eu deveria readquirir a cidadania polaca, complementando as brasileira e portuguesa que tenho e das quais me orgulho. Por intercessão do Embaixador junto ao Consulado da Polónia em Lviv, cidade na qual Portugal jogou duas vezes no último campeonato europeu de futebol, milagrosamente foi encontrada a minha certidão de nascimento, cuja cópia em cirílico tenho o prazer de aqui publicar. Brevemente, receberei o passaporte polaco das mãos do senhor Embaixador, fechando assim um ciclo que durou 75 anos. Poderei usufruir de fazer parte da minha terra, da minha pátria e da minha casa, sem que haja nos meus sentimentos diferença entre essas três condições.

O mesmo posso dizer da religião. Nascido numa família judaica de origem tártara, sediada na Galiza desde o século XVI, fui baptizado na religião católica em 1939. Nunca percebi que houvesse conflito nessa dualidade religiosa, dado que os valores morais e espirituais são os mesmos e as diferenças se situam nas áreas das regras de comportamento necessárias numa sociedade civilizada. Nunca esquecendo que Jesus Cristo é também judeu.

André Jordan